Want to Partnership with me? Book A Call

Popular Posts

Dream Life in Paris

Questions explained agreeable preferred strangers too him her son. Set put shyness offices his females him distant.

Categories

Edit Template

Senado tem adotado princípio da conciliação ao analisar projetos como a “taxação das blusinhas”, diz Pacheco

Rodrigo Pacheco (Foto: reprodução)

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse, nesta terça-feira (4), que a Casa tem adotado o “princípio da conciliação” na análise de projetos como o que prevê a cobrança de imposto na compra de itens importados de até US$ 50 — a chamada “taxação das blusinhas”.

“A materialização do consenso é o bom senso”, completou. As declarações foram dadas durante evento do Tribunal de Contas da União (TCU) que discute o consensualismo na administração pública.

Para Pacheco, a lógica da conciliação deve estar presente em todas as instâncias, seja o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. Segundo ele, isso resulta na “evolução da sociedade”.

“Para isso, o Senado tem atuado na criação de leis que ajudam a prática da administração pública consensual e dialógica”, contou.

Nesse contexto, o presidente do TCU, ministro Bruno Dantas, afirmou que o consensualismo tem ajudado a destravar os trabalhos do tribunal. “Isso está nas leis. Representa uma vontade do legislador, não um voluntarismo dos tribunais”.

Recentemente, o TCU criou uma secretaria específica — a Secex Consenso — para prevenção e solução consensual de conflitos. Ela tem avaliado uma série de propostas de repactuação contratual de rodovias, ferrovias e usinas de geração de energia.

“Muitos contratos [da administração pública] encontravam-se paralisados. […] isso impedia o investimento privado”, explicou.

Segundo Dantas, essa governança tem sido aperfeiçoada ao longo do tempo. “O que temos debatido é ampliação do debate junto aos tribunais de contas estaduais, onde também há espaço para o consensualismo”.

Judiciário

Presente no evento, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse que o judiciário também tem adotado a conciliação como forma de solução de demandas que chegam à Corte.

“O primeiro caso foi no julgamento dos planos econômicos, quando se construiu um consenso em torno da questão”, contou.

Gilmar listou outros casos, como o acordo de entendimento da Lei Kandir e mais recente a negociação do acordo envolvendo o ICMS dos combustíveis. Segundo ele, o resultado foi positivo graças ao “diálogo institucional entre poderes”.

“E agora estamos tentando fazer um acordo a respeito dos medicamentos não fornecidos pelo Sistema Único de Saúde […] estamos evitando o excesso de judicialização”, finalizou.

Fonte: CNN Brasil

Compartilhe:

vozpb.online

Redator

A Paríba tem voz

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VozPB

Redator

A Paraíba tem Voz

Dream Life in Paris

Questions explained agreeable preferred strangers too him her son. Set put shyness offices his females him distant.

Join the family!

Sign up for a Newsletter.

You have been successfully Subscribed! Ops! Something went wrong, please try again.
Edit Template

© 2024 Todos os direitos reservados